terça-feira, 30 de setembro de 2008

Padrões!!! Pra que?

Ai como eu detesto quando alguém olha pra mim e me dá aquela conferida dos pés à cabeça e fala: “Nossa como você emagreceu ou nossa como você engordou!”
Isso me deixa possessa, pois esses padrões de beleza não fazem a menor diferença pra mim, sou o que sou e não ligo para o que os outros pensam ou acham de mim.
Pois os padrões
, desde de que o mundo é mundo, estão em constante mutação. Seja para se adequar às roupas da estação, seja para nos deixar loucas da vida enquanto tentamos aderir aos arquétipos vigentes.
Uma das formas do ser humano ser notado é por sua beleza física, talvez porque a aparência “fale” antes das palavras. Vivemos, infelizmente, uma época em que o culto a certo padrão de beleza se tornou tão doentio que não conseguimos deixar de agir como fantoches de uma indústria que, no fundo, não sabe para onde quer nos levar.
Temos que encontrar um meio de não sucumbir ao padrão imposto. Além de vivermos um padrão de auto-estima elevado e realista, termos uma medida de valores que vá além da beleza física.
No entanto, há um detalhe imprescindível para a harmonia do corpo. Ela não começa de fora para dentro, mas sim do interior para o exterior. Não é somente a beleza física que atrai, encanta e surpreende, mas a beleza interior.
Contudo posso afirmar que não existe um padrão de beleza. Magra ou gordinha, não importa. Depende da energia interior. Depende da força positiva que liberta. Depende da forma de pensar e de viver. Depende da maturidade e da personalidade. Depende dos objetivos da vida.

2 comentários:

Cê! disse...

Oi Regi, fazia mó tempão que não vinha aqui. Pois bem.
Adorei o post. Me identifiquei bastante... pois tb sou um pouco assim... não sigo padrões, não faço parte dessa massa!

________

Um super bju*

Valdeir disse...

Tudo bem, Regi?

E o pior de tudo é que a ditadura do padrão vai muito além da estética. Na sociedade em que vivemos, quem tem valor é a pessoa que possui uma recheada conta bancária, ou "mil e um" títulos de mestrado e doutorado. E, muitas vezes, pessoas que seguem um padrão estético e/ou comportamental, não são felizes; vão apenas na "crista da onda", um "boi caminhando atrás da vaca".

Beijão pra você e continue a escrever esses textos que nos levam a reflexão.