terça-feira, 21 de outubro de 2008

Eu vivo em uma bolha!

Sabe quando você tem medo? Parece que nada realmente poderá ser útil naquele instante, nada parece servir, e você faz o que? Temos alternativas, ou enfrentamos ou fugimos.
E estava por esses dias olhando o nada e percebi que o medo nada mais é, que sentir o sabor da vida, o coração parece está na boca. Mas não é bom ter medo, não que o medo seja algo com o qual devemos nos acostumar, mas sentir medo é normal. O escuro me assusta, o desconhecido me provoca, reações me emudecem.E ai eu olho e percebo que muitos medos são criados por mim mesma, por viver nessa ilusão, nessa bolha que tem minhas regras, tem meus vícios, meus sonhos, será que não seria mais fácil ir embora dessa bolha, abandoná-la, ir ao rumo ao novo, ao jeito dos outros, com outras regras, outros vícios, outros sonhos?
Como é difícil deixar o passado, o certo, para trás, e como ir em outro caminho pelo qual nunca fui antes, e isso me dá medo, não sei se lá é escuro, se lê tem regras ou vícios, não sei se lá existem sonhos...E vejo que a bolha da ilusão é cômoda, alimenta a alma e deixa o corpo bem saciado. Ir para o desconhecido é assim, é arriscar, e talvez eu nem esteja pronto para isso, para dar esse possível passo em falso ou certeiro.
Somente agora percebo, que dentro da minha bolha, eu vivo protegido das ilusões maiores que qualquer outra pessoa me ajude a construir, minha bolha é minha, eu vivo nela, só, o que tiver de ser alimentado, será por mim só, o que tiver de ser esquecido, esquecido será. Mas é cômodo, eu escolho. E admito, que vivo numa bolha chamada ilusão, problema meu? De certo sim, eu quem escolhi viver assim, não culpo ninguém por meus erros, a culpa é minha. Não cobro de nenhum por não ter quem dever, parece egoísmo, mas talvez eu só esteja me adaptando ao maior sentimento que o medo posso trazer, já que vivo sozinho, para que enfrentar o medo, se ele me trará tristeza, se eu não conseguir. Penso, será que realmente vale arriscar meus sonhos? Talvez, eu seja covarde, mas continuarei a viver lá na bolha, chamada ilusão, onde é mais como, onde eu escolho...

Um comentário:

☆ Sandra C. disse...

Eu ando preocupada, porque a minha bolha já me sufoca há anos...